laserterapia-em-São-Paulo

Afta, herpes, parestesia ou paralisia facial de Bell podem ser tratados com a laserterapia de baixa potência em São Paulo

Os lasers são usados na odontologia há algumas décadas, oferecendo benefícios aos pacientes, sobretudo mais conforto e segurança. Embora seja possível pensar que exista apenas um laser tradicional, a potência usada na terapia determina a sua aplicação e os seus resultados no corpo do paciente. Por isso, a laserterapia pode ser em alta ou em baixa potência.

A intensidade vai transformar o efeito do tratamento. Enquanto a alta potência é capaz de cortar os tecidos duros ou moles, como uma espécie de bisturi de luz – e também tem sido usado no tratamento de doenças periodontais –, os de baixa potência são usados na reparação dos tecidos e podem ser aplicados para reduzir as dores de dente.

Apesar de a tecnologia ser conhecida há alguns anos, o profissional necessita de experiência para que o tratamento dê o efeito esperado. “No laser de alta potência, se a configuração for equivocada, pode gerar lesões nos pacientes. Por outro lado, o de baixa potência pode não atingor os efeitos esperados”, explica Paulo Nacarato, dentista que realiza o tratamento de laserterapia de baixa potência em São Paulo.

Aplicações

Alta potência

– Realização de cortes em cirurgias

– Remoção de cáries

– Tratamento periodontal

– Peri-implantite

 Baixa potência

– Hipersensibilidade

– Anestesias

– Bioestimulação óssea

– Tratamento de cáries

– Tratamento de herpes e aftas

– Parestesia, paralisia de Bell

É possível perceber que tanto a baixa quanto a alta potência podem ser usadas, por exemplo, no tratamento de cáries. A correção definitiva desse problema vai depender de um diagnóstico correto e, mais do que isso, do cuidado do profissional.

“A tecnologia é sempre uma aliada da odontologia, auxiliando a tornar os tratamentos mais seguros. Contudo, o diagnóstico deve ser preciso e o atendimento humanizado, preocupado com o bem-estar do paciente e os resultados”, ilustra Nacarato.

Laserterapia no tratamento de aftas

Uma série de fatores pode desencadear a afta, como a deficiência no sistema imunológico, o uso contínuo de medicamentos, estresse emocional ou fisiológico. Elas podem durar dias e têm, em média, 10mm. É difícil achar uma pessoa que tenha passado ilesa pelas aftas, mas o que nem todos sabem é que a laserterapia como tratamento para afta é uma solução rápida e simples.

Em alguns casos, o surgimento da afta está relacionado a problemas gastrointestinais ou alergias, fazendo com que sua frequência seja mais frequente – em intervalos de 15 a 30 dias. Para essas situações, o tratamento com laser é eficiente, pois proporciona uma cicatrização mais rápida.

“São realizados vários exames para certificar a origem e causa das aftas e a possibilidade do uso do laser como tratamento”, explica Nacarato, dentista que realiza a aplicação da laserterapia de baixa potência em São Paulo. “O tratamento é simples, não causa dor e diminui consideravelmente o aparecimento das aftas, aliviando os sintomas e os incômodos dos pacientes”, diz.

Laserterapia no tratamento preventivo de herpes

A técnica não apresenta contraindicação e pode ser realizada tanto no tratamento quanto na prevenção do herpes labial por meio das ondas do laser. O herpes é uma infecção viral e contagiosa, que costuma se manifestar periodicamente, normalmente entre sete e dez dias. O sintoma inicial é um formigamento/coceira nos lábios, seguido da erupção de bolhas que viram feridas.

“Elas aliviam as dores e os incômodos que o herpes causa, além de reduzirem o tempo de manifestação do vírus”, diz o dentista.

O tratamento deve ser feito preferencialmente na fase inicial da manifestação do herpes, para evitar que ele avance de estágio. Quando o herpes já está em momentos avançados, recomenda-se a aplicação do laser no entorno do local, para estimular o sistema linfático da região. A técnica pode ser aplicada tanto no tratamento quanto na prevenção do surgimento do herpes, pois agem diretamente no tempo de prevalência do vírus.

Outro benefício do tratamento do herpes com a laserterapia é ampliar o intervalo de aparecimento do vírus.  “Com isso, aumentamos a autoestima do paciente, que não precisa se incomodar tanto com a doença, problema muito inconveniente principalmente em momentos sociais”, salienta Nacarato.

Laserterapia no tratamento de parestesia

A parestesia é aquele formigamento e dormência na face, normalmente resultado de complicações cirúrgicas ou consequências de tratamentos. Quando acomete os nervos, ela pode paralisar parte do rosto – sem deixar de perder as funções.

Para esses casos, a laserterapia pode ser uma boa opção de tratamento.

Laserterapia no tratamento de paralisia de Bell

Resultado de uma inflamação que acomete os nervos da lateral do rosto e causa fraqueza da face, a paralisia de Bell pode surgir após uma infecção viral. Os sintomas, assim como da parestesia, passam em alguns dias, mas, em situações mais graves, pode ser solucionada – ou amenizada – com a laserterapia.

Quer conhecer mais os tratamentos realizados pela laserterapia de baixa potência em São Paulo ? Entre em contato e agende a sua consulta.

CategoryOdontologia
Escrever um comentário

*

Seu e-mail não será publicado

Responsável Técnico - Dr. Paulo Nacarato (CROSP 36130)| Clínica Nacarato Odontologia (CROCL9597)

Logo Profissas

Agende sua consulta!