Laserterapia em São Paulo: de alta ou baixa potência? Saiba a diferença entre os dois!

Existem diferentes tipos de lasers – cada um deles desencadeia um efeito desejado sobre o tecido no qual será aplicado. Por isso, são necessários diversos equipamentos para atingir os objetivos propostos na odontologia.

Alta potência

Os de alta potência são usados em cirurgias para a realização de cortes, seja em tecidos moles ou duros (que exijam a remoção de cáries ou o corte em ossos). Ele funciona com base na vaporização tecidual, quando uma alta quantidade de energia promove a destruição do tecido de forma precisa, sem coagulação e contaminação. Sua potência vai de 1.000 mW a 10.000mW. A definição dessa capacidade varia conforme o seu objetivo.

Baixa potência

Os de baixa potência apresentam diversos benefícios, entre eles o alívio da dor nos dentes. Nas melhorias causadas, encontram-se a redução da hipersensibilidade dentária; as dores em geral (do nervo, da polpa, no tecido mole) e até mesmo no pré e no pós-operatório, entre outras aplicações.

Outros de seus benefícios está na reparação de tecidos: depois dos chamados tratamentos endodônticos, lesões traumáticas na boca, pós-operatórios, o uso do laser dentário de alta potência auxilia na reparação, de forma mais rápida e com um padrão de qualidade superior ao do tecido anterior.

Também é indicado para reduzir edemas de cirurgias orais menores e no pós-operatório dos campos da periodontia, especialmente em procedimentos mais extensos e que causam traumas maiores. Além disso, ele está indicado em outras diversas situações clínicas:

– Síndrome de dor e disfunção da A.T.M (articulação da mandíbula);

– Paralisia facial de bell;

– Herpes simples e zoster, com excelentes resultados;

– Hipersensibilidade dos dentes;

– Tratamentos de aftas;

– Tratamento da alveolite;

– Anestesias;

– Bioestimulação óssea;

– Tratamentos de cáries.