diastemas

Aberturas entre os dentes (diastemas) podem facilitar o acúmulo de sujeira e até comprometer a fala, dependendo da sua localização

Os diastemas são aqueles espaços entre os dentes, um buraco que é quase sempre impossível de esconder. Mais perceptível nos dentes superiores da frente, ele não tem local certo para estar: pode ser bem na frente, nos dentes de trás, superiores ou inferiores.

A principal queixa de quem tem diastema é estética, pois o sorriso — considerado o principal fator na beleza do rosto — perde a harmonia. Mas existem outros problemas por trás da situação, motivos suficientes para optar pelos procedimentos possíveis para o fechamento deste espaço.

Diastemas: muito além da estética

A maior parte dos pacientes que reclama dos diastemas é pelo visual. “Muita gente almeja aquele sorriso perfeito, alinhado e branco e, para essas pessoas, o espaçamento entre os dentes pode ser um grande problema”, afirma Paulo Nacarato, dentista em São Paulo com clínica localizada no Jardins.

Ao mesmo tempo, há gente que nem liga para a abertura, considerando um “charme a mais no sorriso”, caso da cantora Madonna, por exemplo. O que nem todo mundo sabe é que aquele pequeno espaço entre os dentes pode prejudicar a saúde bucal, além de exigir mais atenção no momento da higienização.

“Os espaços facilitam a entrada e acúmulo de alimentos e resíduos que, se não forem bem limpos, podem permanecer entre os dentes. Como consequência, podem ocasionar inflamações na gengiva, que desencadeiam uma série de outros problemas”, explica Nacarato.

Posicionamento

Como dissemos anteriormente, dependendo do posicionamento do diastema, outros problemas podem surgir, como as DTM ou o comprometimento da fala.

“Caso o diastema comprometa a mastigação, ela ficará desequilibrada, podendo sobrecarregar outros dentes e a musculatura, o que gera consequências negativas para o paciente”, comenta o dentista. Essa compensação pode resultar em dores de cabeça, articulares, nos ombros, pescoço, e outros.  

Como tratar

É possível fechar o diastema com aparelhos ortodônticos ou até mesmo com resina e facetas de porcelana, em procedimentos estéticos rápidos e pouco invasivos. “O dentista fará exames e análise da posição do diastema, para oferecer as melhores opções para o fechamento”, diz Nacarato, que realiza o procedimento em sua clínica. Em geral, a escolha pelo procedimento é tomada em comum acordo entre o dentista e o paciente.

Caso a opção seja pelo fechamento do diastema, quanto antes o diagnóstico e a realização do procedimento, melhor. Ele pode ser realizado ainda na infância, a partir dos 7 anos, com a dentição mista.

Escrever um comentário

*

Seu e-mail não será publicado

Responsável Técnico - Dr. Paulo Nacarato (CROSP 36130)| Clínica Nacarato Odontologia (CROCL9597)

Logo Profissas

Agende sua consulta!