Problemas simples como boca seca pode estar relacionado ao seu dia a dia e às doenças odontológicas causadas pelo estresse

Na segunda colocação no ranking mundial, o Brasil tem um alto índice de pessoas que sofrem com o estresse diariamente. O esgotamento mental traz consequências para o restante do corpo, resultando no cansaço em excesso e diversos problemas de saúde. E, infelizmente, a saúde bucal também não escapa disso.

“O sistema imunológico dá os sinais de quando as coisas não estão bem, abrindo as portas sobretudo para doenças periodontais e outros problemas relacionados”, afirma Paulo Nacarato, dentista em São Paulo com clínica própria no bairro Jardins.

Problemas relacionados

O bruxismo é o primeiro na lista dos problemas relacionados ao estresse: o desgaste da mente durante o dia é descarregado nos dentes ao dormir. O bruxismo é involuntário e pode causar muitas dores nos dentes, maxilar e disfunção na ATM (articulação temporomandibular).

O bruxismo está ligado às emoções, por isso, algumas atividades de relaxamento podem ajudar a aliviar os sintomas — especialmente as físicas, como o esporte de sua preferência. Uma alimentação mais saudável também influencia positivamente.

Para tratamento, as placas de mordida são as mais indicadas. “Ela possibilita o relaxamento da musculatura e impossibilita o atrito dos dentes, minimizando as dores e o desgaste”, diz Nacarato. O desgaste em excesso pode resultar até mesmo na perda dos dentes (nos casos mais graves).

Perda de dentes e outras doenças odontológicas causadas pelo estresse

Na saúde bucal, o estresse e a perda de dentes estão diretamente relacionados. Há alguns anos, a atriz Demi Moore confessou que perdeu dois dentes da frente em razão disso. “Gostaria de dizer que foi andando de skate, mas foi devido ao estresse”, declarou em entrevista ao apresentador Jimmy Fallon.

Os riscos, no entanto, podem levar a outras questões muito prejudiciais à saúde bucal global, afetando, inclusive, aspectos relacionados à odontologia estética, como por exemplo:

Doenças periodontais: nos casos de estresse, o corpo aumenta a produção de um hormônio chamado cortisol, conhecido como o “hormônio do estresse”. Nesses casos, o sistema imunológico atua de forma mais precária, facilitando o surgimento das doenças periodontais, que podem ser tratadas de forma muito simples, mas, em casos mais severos, podem atingir gengivas, ossos e a raiz dos dentes, ocasionando a perda dos dentes.

– Aftas: problemas menos graves, elas costumam permanecer na boca de sete a catorze dias. O estresse é um dos gatilhos para o seu surgimento.

Cáries: Alguns bons hábitos do dia a dia, como a escovação adequada dos dentes, podem perder importância nos momentos de estresse. Por isso, lembre-se sempre de não descuidar com a saúde bucal. Além disso, a situação pode desencadear a redução da saliva, o que contribui para um ambiente mais favorável às cáries.

Mau hálito: o mau hálito pode estar relacionado às doenças periodontais, aos cuidados deficientes com a escovação diária e também à boca seca. Ou seja, é uma consequência dos demais sintomas e dificuldades trazidos pelo estresse.

“O estresse acumulado pode causar doenças com importante ligação com a imunidade, ansiedade e cansaço. Além disso, a boca seca – que pode gerar cáries e periodontites devido à falta de produção de saliva – e a gengivite também podem ser consequências do estresse”, exemplifica o profissional.

Entendeu como estresse e a perda de dentes podem estar muito relacionados? Tem alguma dúvida sobre como surgem as doenças odontológicas causadas pelo estresse? Entre em contato com a Clínica Nacarato.

CategoryOdontologia

Responsável Técnico - Dr. Paulo Nacarato (CROSP 36130)| Clínica Nacarato Odontologia (CROCL9597)

Logo Profissas

Agende sua consulta!
Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0