Muitas dúvidas giram em torno do dente do siso, como qual o melhor momento para a extração? Esperar que o terceiro molar gere problemas não é a melhor opção

Nem todas as pessoas sabem o que são os quatro terceiros molares – também conhecidos como dentes do siso -, dois deles localizados na parte superior e outros dois na inferior, nos lados direito e esquerdo.

Aproximadamente duas a cada dez pessoas nascem sem eles – em alguns, a erupção do dente só acontece entre os 17 e 20 anos -, outros nem precisam retirá-los, no caso de estarem saudáveis ou bem acomodados na arcada dentária.

Por outro lado, se você está na parte da população com sisos a serem extraídos, não se preocupe. A retirada do dente do siso em São Paulo, na Clínica Nacarato, é um procedimento rápido e simples.

Recomenda-se a extração do siso assim que eles nascem, especialmente quando pode comprometer a higienização ou pressionar os demais dentes da arcada dentária. No entanto, muitas pessoas optam por mantê-los na boca até que tenham algum sintoma ou real necessidade da retirada.

“O dente do siso é um problema para muitos pacientes pela dificuldade de conseguir atingi-lo na escovação, o que pode afetar a higienização da boca como um todo”, explica Paulo Nacarato, que realiza a extração do siso no Jardins, bairro da capital paulista onde está localizada a Clínica Nacarato.

Retirada do siso em São Paulo

Entre os principais casos nos quais há indicação para a extração do dente do siso, estão:

– Dificuldades na higienização, resultando em cáries e outros problemas relacionados à higiene bucal;

– Dores ou pressão em outros dentes, ocasionadas pelo nascimento tardio do dente, que pode desalinhar a arcada dentária, causando incômodos na mandíbula ou ouvido;

– Falta de um par, o que também pode afetar a mordida.

“Todos esses sintomas são facilmente diagnosticados, e o tratamento pode ser iniciado de imediato, evitando que o siso prejudique os demais dentes ou a arcada”, alega Nacarato, que atua com a retirada dos sisos em São Paulo há mais de três décadas.

Procedimento

A cirurgia para a retirada do siso é simples e rápida, sendo realizada em consultório com anestesia local. “Inicialmente, fazemos uma consulta com exames radiográficos para ver a necessidade da retirada do(s) dente(s), seu posicionamento, entre outros pontos”, afirma Nacarato.

Comprovada a necessidade, é agendado o procedimento cirúrgico. “Dependendo do posicionamento do dente, a retirada pode ser muito rápida, pois é uma cirurgia muito precisa”, explica.

Para o pós-operatório, o dentista recomenda uma dieta líquida e preferencialmente gelada, o que vai minimizar o inchaço. Outros aspectos importantes são evitar atividades físicas, bebidas alcoólicas e cigarro, ter atenção na hora da escovação e voltar ao consultório para retirar os pontos e checar se está tudo certo no período estipulado.

“O processo de recuperação depende muito do repouso do paciente e do cuidado na higienização. Na maior parte dos casos, em uma semana ele estará liberado para voltar a sua vida normal”, relata o profissional.

Melhor época

A cirurgia de extração do siso não é complexa, porém exige alguns dias em repouso. Sendo assim, o indicado é realizá-la nos períodos de férias ou feriados, para que a recuperação aconteça com calma e da maneira correta.

O momento de férias de inverno – com temperaturas mais baixas em algumas regiões do país, como em São Paulo – favorece a recuperação:

– Favorece o repouso necessário para a recuperação mais rápida dos tecidos;

– A temperatura mais baixa nesta época do ano diminui o inchaço pós-operatório;

– Ganha-se mais tempo para o controle e o cuidado com a alimentação, que deve ser líquida ou pastosa;

– Há mais tempo para os cuidados com a higiene no pós-operatório.

“A procura pela retirada do dente cresce nesses períodos, pois os pais aproveitam as férias escolares ou os recessos para que o jovem descanse sem sofrer danos no ano letivo”, diz o dentista.

Deixar a retirada do dente para depois

A extração tardia do siso se torna mais complicada em função de suas raízes estarem mais firmes nos ossos. Vários estudos indicam que a incidência de infecções e dificuldades no pós-operatório aumentam conforme cresce a idade do paciente.

Por isso, a recomendação dos dentistas é de extrair esses dentes o mais cedo possível, logo nas primeiras consultas.

Pesquisas realizadas nos Estados Unidos e na Inglaterra mostram que pequenas infecções na boca e nos ossos maxilares podem contribuir para a incidência de problemas cardíacos, como infarto e AVC. Essas pequenas infecções acabam levando bactérias para a corrente sanguínea, causando algo ainda maior.

Periodontia

Em geral, a origem desse incômodo está na dificuldade de higienização em um dos dentes da boca, que, em boa parte dos casos, pode ser o dente do siso.

As periodontites são inflamações que afetam os tecidos que sustentam os dentes, e a origem em um dente apenas pode gerar impactos na boca como um todo, causando até mesmo a queda de dentes e outros reflexos severos na arcada dentária.

Preocupado com o seu dente do siso? Gostaria de agendar a retirada antes que ele cause problemas? Entre em contato e agende a sua avaliação.

CategorySem categoria
Escrever um comentário

*

Seu e-mail não será publicado

Responsável Técnico - Dr. Paulo Nacarato (CROSP 36130)| Clínica Nacarato Odontologia (CROCL9597)

Logo Profissas

Agende sua consulta!
Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0